Antes que eu perca a coragem

 

Preciso escrever rápido senão perco a coragem

Mozim, mozão e benhê…

Um sonoro e estridente “te amo” pra a galáxia ouvir nunca foi a minha cara

Sou mais de sentir do que de dizer (ele também).

Não há problema em discursos sentimentais, mas,

Há muito a se sentir e muito a se fazer

Que as palavras se tornam irrelevantes.

Sou a versão feminina do seu olhar,

O quanto já passamos juntos?

Quantas barras já seguramos e som nenhum foi ouvido?

O que importa o que fizemos, bebemos, usamos e sentimos?

O que importa o tempo que se passou?

Eu sei onde posso repousar e ele também sabe que estou aqui,

Então, é quase cômico quando perguntam sobre nós porque esta tudo contido

E eles não precisam saber do nosso mundo particular, é mais legal eu não sabiam

(e nem dimensionem). Não é preciso outdoor.

O caminho nos trouxe até aqui e isto já basta, a jornada foi longa e o amanha não existe.

A platéia é ilusória e o dia a dia árduo, as conquistas compartilhadas.

Me apaixonei pelo meu melhor amigo, meu maior algoz.

Por isso, o mais próximo do clichê que quero chegar é

Que Deus nos fez nós e isso é muito bom!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: